Sábado, 4 de Julho de 2015
Relógio Monumental da Torre do Palácio Nacional da Pena volta a funcionar

A Parques de Sintra concluiu os trabalhos de recuperação do mecanismo do Relógio Monumental instalado na Torre do Palácio Nacional da Pena e este voltou a funcionar após 25 anos de paragem. O restauro desta peça de relojoaria ímpar exigiu um investimento financeiro de cerca de 35.000 Euros por parte da empresa.

17 Relogio.jpg

Este relógio foi encomendado pela rainha Carlota Joaquina e executado no Arsenal Real do Exército pelo mestre relojoeiro da Casa Real, António Rodrigues Leite, no ano de 1830, destinando-se originalmente à Real Capela da Quinta do Ramalhão. Trata-se de um mecanismo associado a um conjunto de dois sinos, que marcam, respetivamente, o de maior dimensão, as horas e o de menor dimensão, os quartos de hora, e que, para além da data e do autor (um dos sinos é datado de 1740, da autoria de Pedro Ruis Palavra), têm representado, em relevo, Jesus Cristo na cruz. Parcialmente retirado do seu contexto desde o início da década de 90 do século passado, com o objetivo de proceder à sua recuperação e recolocação em funcionamento, passou por várias vicissitudes, tendo a Parques de Sintra retomado o processo de recuperação em 2013.

O restauro foi conduzido por Hermínio de Freitas Nunes, relojoeiro especialista em relógios de Torre e de Salão, ao longo de 9 meses. Este especialista foi escolhido para este trabalho minucioso pela experiência que detém neste tipo de instrumentos. Do vasto currículo, fazem parte o restauro do relógio de Torre mais pequeno do mundo, pertencente à estação ferroviária de Coimbra; da Igreja do Sanguinhal, no Bombarral, da Igreja Paroquial de Ançã, em Coimbra; da Torre Municipal de Aljubarrota, da Torre Municipal de Pernes, em Santarém; e do Santuário do Senhor Jesus dos Milagres, em Fátima, entre muitos outros. É ainda, atualmente, o responsável pela manutenção do relógio do Arco da Rua Augusta, em Lisboa.

18 Relogio.jpg

Entre outras intervenções, foram tratadas todas as peças originais existentes, nas duas principais ligas presentes, o ferro e o bronze, removendo oxidações, retificando distorções e aplicando proteções finais de estabilização em todos os elementos. Dado que se verificava já a perda de parte do mecanismo, foi necessário proceder à execução das peças em falta, nomeadamente do conjunto de transmissão do movimento, desde a máquina até à parede da Torre e desta aos ponteiros, e de engrenagens, tirantes e veios. O trem de acionamento dos ponteiros foi feito com recurso a corte por sistema de oxiplasma, assistido por computador.

19  Relogio.jpg

Além dos elementos em falta no mecanismo principal, também as alavancas que acionam os martelos dos sinos, no piso inferior da Torre, que já não existiam, foram executadas pelo relojoeiro, com as afinações finais a serem executadas no local.

 

O maior desafio  prendeu-se com o facto de ter sido necessário desmontar o relógio peça a peça – pois não havia outra forma de o retirar da Torre – para ser transportado para a oficina de Hermínio de Freitas Nunes, na Marinha Grande. Aí, depois de limpar e restaurar as peças existentes e de fabricar as que estavam em falta, o relógio voltou a ser montado para verificação final do seu pleno funcionamento e para as afinações finais. Voltou a ser desmontado para aplicação do acabamento final (pintura) e transportado para a Torre, o seu local original, onde foi montado uma última vez.

20 Relogio.jpg

Para colocar o mecanismo novamente no seu lugar foi necessário o apoio de seis pessoas. Já para a colocação dos ponteiros, cujo restauro inicial ficou a cargo da empresa Archeofactu, a Parques de Sintra recorreu ao apoio de um escalador que, em rappel, desceu para os colocar de volta no seu local original.

21 Relogio.jpg

Dada a importância deste elemento no contexto do Palácio foram, em paralelo, realizadas obras de recuperação no interior da Torre, para permitir visitas a estes espaços e ao mecanismo do relógio.

 

 



publicado por Donna Viagem às 12:50
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Americanos elegem Portuga...

Algarve tem 91 praias com...

Guardian coloca Conímbrig...

Porto é uma festa da nost...

Turismo: Lonely Planet de...

Guimarães é o quarto melh...

Relógio Monumental da Tor...

A “melhor estrada do mund...

Portugal tem duas das mel...

Rua Cor-de-Rosa” é uma da...

Lisboa é "deslumbrante", ...

Açores eleito como o “Des...

Cinco jardins portugueses...

Óbidos e Ericeira concorr...

Festival das Viagens 2015

Festival do Lagostim de R...

Valpaços volta a ser a ca...

Turismo evitou mais uma v...

Gastos de turistas estran...

Ribeira do Porto está nom...

Lisboa é a cidade europei...

Aeroporto Francisco Sá Ca...

Portugal tem oito dos mel...

Um dos transportes mais c...

Largo do Paço é o segundo...

Francesinha é um dos melh...

O ALGARVE É ÓTIMO MAS O P...

Lonely Planet destaca o P...

Marvão foi considerado o ...

Lisboa é o segundo melhor...

Um dos penhascos com melh...

Turistas deixam em Portug...

A biblioteca do Palácio N...

Os típicos azulejos Portu...

Portugal é o melhor pais ...

Açores entre os melhores ...

Porto tem uma das piscina...

Porto é o Destino a Visit...

Madeira é o melhor destin...

Hotelaria de Benidorm apo...

Monte Fuji (Japão) bate r...

Emirates entra no negócio...

Ocupação da Hotelaria do ...

Prémios internacionais pa...

Filme promocional do turi...

Accor anuncia mais 5 mil ...

Pullmantur vai operar 5 "...

Donna Viagem, Lda - Nova ...

Tarifa média da Ryanair s...

Algarve considerado “Best...

arquivos

Julho 2015

Abril 2015

Março 2015

Agosto 2013

Setembro 2012

Julho 2011

Janeiro 2011

Julho 2010

Abril 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

tags

todas as tags

favoritos

Benidorm | Verão 2017 | ...

links
subscrever feeds